Mostrando postagens com marcador Arnaldo Rosa Prata. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Arnaldo Rosa Prata. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

A PRAÇA ( E A RUA ) É DO POVO!

Estou a acompanhar essa celeuma do “ estacionamento pago” em ruas, praças e avenidas na terrinha do “Doca”. Então, veio à lembrança um episódio que tomou conta de Uberaba, em 1972/73 . Antes de deixar a Prefeitura, o prefeito Arnaldo Rosa Prata, embora com alguns senões, fizera uma louvável administração. A começar pela surpreendente vitória nas urnas, sobre imortal” Mário Palmério, com quem disputou a Prefeitura naquele “mandato tampão” . Arnaldo, inaugurou o , até hoje, inacabado “Uberabão”, construiu o novo terminal rodoviário, “cobriu” parte dos córregos centrais da terrinha, além de asfaltar ruas no centro e bairros da cidade.

Nas eleições municipais de 72, prestigio em alta, rádio,jornal e TV, recém inaugurada, às mãos, lançou, com a sua turma da Arena 1, o tabelião Fúlvio Fontoura, como candidato à sua sucessão. Pelas obras realizadas, o apoio recebido, a eleição do “pupilo”, era ‘fava contada” . Do outro lado, Arena 2, meio desorganizada, precisando de votos na convenção da escolha de candidato, lançou Hugo Rodrigues da Cunha, perdedor de uma disputa à deputado federal e ex-Presidente da ACIU, também um dos lideres do movimento separatista do Triângulo, de Minas Gerais, chamado UDET (União de Desenvolvimento do Estado do Triângulo).

Hugo, contava com um frágil apoio de empresários do setor automobilístico e reflorestamento. Não mais. “Boa pinta”, a “bola da vez” era Fúlvio. A “mulherada” morria de amores por ele. Hugo, feioso, bigodudo, era o “azarão”. (Sem contar com o João Pedro de Souza, coitado, do esfacelado MDB...).Máquina administrativa na mão, vereadores ao seu lado, deputado federal, imprensa quase unânime,Fúlvio, podia mandar fazer o “ terno de posse”...

Mas, como em “boca de urna” e “cabeça de Juiz”, ninguém sabe o que sai, Hugo, “deu um banho de votos no seu opositor”. A vitória dos“ reflorestadores”, deixou uma parte dos “donos da cidade”, na rua da amargura. Nesse ínterim, veio o “troco”. O grande “Jumbo Eletroradiobraz”, pesquisa Uberaba para instalar uma das suas espetaculares lojas ! Euforia do “grupo” derrotado. A empresa paulista, precisava de uma grande área para a sua instalação. O que fez Arnaldo ? Com a anuência, quase total, só Mário Guimarães, eleito vice prefeito na chapa de Hugo, votou contra, a Prefeitura, doou a praça Jorge Frange, a “antiga praça da rodoviária”, à empresa paulista... Seria a “consagração” de Arnaldo e da Arena 1 e a “oposição” teria de aceitar...

Hugo, “empinou o arreio”! Gilberto Rezende, “cabeça pensante” do grupo vitorioso, gritou:-“Doar praça pública à particular ? Jamais! A praça é do povo !”.Ação popular impetrada, a medida foi sustada. Quando tomou posse, uma das primeiras medidas de Hugo, foi anular o “decreto de doação” da praça. O “Lavoura” “caiu de páu” no novo Prefeito. As rádios também .A TV, ficou neutra. “Sapo de fora não ronca”, disse dr.Renê Barsam, presidente da emissora.

Hugo, ofereceu ao grupo, outras áreas. Por “pirraça” e orientada pela “oposição”, a empresa paulista não aceitava nenhuma outra localização. Queria a praça e pronto ! Só que a “praça é do povo”, diziam os uberabenses. O “castigo veio à cavalo”. Em pouco tempo, a gigante “Jumbo-Eletrorádio Braz”, faliu ! A “oposição” ficou caladinha e Uberaba ficou livre daquele abacaxi.

Conto-lhes essa história da vida política de Uberaba e essas pretensões absurdas, quando falam em “ progresso de Uberaba’, “democratização de espaços”...Não sei se o meu fraterno amigo, Gilberto Rezende, toparia encampar um trabalho comunitário e dizer aos atuais “donos” da terrinha, para ir devagar “com o andor”, nesse famigerado “estacionamento pago”.

Desculpem-me pela extensão do texto. Abraço uberabense do “Marquez do Cassú”.



Luiz Gonzaga de Oliveira



Cidade de Uberaba

domingo, 2 de julho de 2017

Ex-vereador João Antônio Speridião

Ex-vereador João Antônio Speridião , Presidente  da Fifa João Havelange e prefeito Arnaldo Rosa Prata.

Ex-vereador João Antônio Speridião, 94 anos. Por conta de sua popularidade e participação no sindicato dos barbeiros, foi eleito vereador de 1971 a 1973, em época em que não se recebia salário. Atuou ainda como servidor da Câmara Municipal de Uberaba de 1976 a 2009, época em que conviveu com pessoas de renome nacional.


Jornalista Alexandre Pereira

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

JOÃO SPERIDIÃO É MEMÓRIA VIVA DE UBERABA

 João Antônio Speridião e Evacira Coraspe


Com 95 anos de idade, João Antônio Speridião possui memória invejável. Bem articulado nas opiniões sobre política, Uberaba e suas personalidades, família, religião, governo e fatos do cotidiano, ele mantém o diálogo por várias horas.
Considerado muito inteligente, apesar de pouca formação acadêmica, Speridião  foi vereador na década de 70, líder do prefeito Arnaldo Rosa Prata e líder do partido Arena 1 na Câmara Municipal de Uberaba.
Após o mandato permaneceu no Legislativo como funcionário. No total foram 41 anos de atuação na vida pública. Hoje aposentado acompanha a política local e nacional pela imprensa. Adepto da leitura, sempre é presenteado com livros de toda natureza.
Foi casado com Dona Silvia Silveira Speridião por 73 anos. Ela faleceu no mês de setembro de 2014. Tem 4 filhos.
Jornalista Evacira Coraspe


terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O PREFEITO ROSA PRATA TRANSFORMARA A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL - UBERABA

Setembro, 1972, em Uberaba. Ano de eleições e a política ganhava fôlego na cidade. O prefeito Arnaldo Rosa Prata transformara a administração municipal. Deu plástica nova na área central, cobrindo córregos, asfaltando avenidas, criando conjuntos habitacionais, inaugurando o semi-acabado “Uberabão”, o novo terminal rodoviário e outras obras mais. Seu afilhado político, diziam seus correligionários, “futuro prefeito de Uberaba”, Fúlvio Fontoura, filho do também ex-prefeito Lauro Fontoura, tinha como opositor, com menor chance, Hugo Rodrigues da Cunha, ex-presidente da ACIU, candidato derrotado em 70 para deputado federal. Ambos da ARENA, I e II, dito pelo governador de Minas, Francelino Pereira, “ o maior partido do ocidente”. Na oposição, o PMDB, em frangalhos, sem a menor possibilidade de vitória, indicara o alfaiate João Pedro de Souza. A TV-Uberaba, com poucos meses de vida, seria o primeiro grande palanque eletrônico das eleições. As ARENAS I e II, com as “burras”cheias de dinheiro, caprichavam nos seus programas eleitorais. No PMDB, a morte do seu grande líder, Chico Veludo, desestabilizou o partido. Chico vencera as eleições e não levou. Já lhes contei a história. João Guido, foi o “escolhido”. Novidade na praça, os programas televisivos eleitoriais, ganharam enorme audiência. Acuado, praticamente sozinho ( lembro-me apenas de um companheiro solidário, Paulo Afonso Silveira). João Pedro, com reduzido tempo de TV, ainda assim topou a “briga”. A turma do PMDB, candidatos a vereador, altamente compromissada com os candidatos arenistas. “Mote” principal da campanha de João Pedro, trazer água do rio Grande para abastecer as torneiras da cidade. O tema virou gozação.-“Onde já se viu?O João, ta louco varrido. Trazer água do rio Grande, só se for em cano de bambu…Ele precisa ser internado no Sanatório Espirita”…João Pedro, virou piada na cidade. –“Onde o PMDB, está com a cabeça?” diziam os opositores. Favorito disparado, apoiado pelo “Lavoura”, PRE-5, parte do “Correio Católico”, Difusora, Fúlvio perdeu para o da ARENA II, Hugo Rodrigues da Cunha. João Pedro, teve uma votação que não se elegeria vereador…Triste, aborrecido, abandonado pelos falsos amigos, endividado na campanha, João Pedro entrou na mais terrível das doenças- a depressão. Não suportando a terrível humilhação por que passara, um fatídico dia, a mirar-se nas águas do rio Grande, na ponte que divide Minas-São Paulo, atirou-se nas águas que queria trazer para abastecer a sua Uberaba tão amada. Lamento, sua morte foi pouco registrada. Nem sei se lhe deram nome de rua na cidade. Seus detratores não mandaram rezar missa de sétimo dia e pedir a Deus o necessário e cristão perdão pela sua alma por tão tresloucado gesto.
Poucos anos se passaram. Os mesmos adversários de João Pedro de Souza, que o chamaram de “louco varrido” por querer trazer água do rio Grande para abastecer a cidade, são os mesmos que, hoje, solicitam aos organismos internacionais, empréstimo para trazer água do rio Grande para Uberaba…Trágica ironia, não?
Desculpem pela extensão da história. Era preciso. 


Luiz Gonzaga de Oliveira

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

CEL. TOBIAS ANTÔNIO ROSA – PROPRIETÁRIO DO JORNAL GAZETA DE UBERABA DE 1879 A 1915

 Cel. Tobias Antônio Rosa


O ex-prefeito de Uberaba Arnaldo Rosa Prata assina hoje – 10 de abril, no gabinete do prefeito Paulo Piau, o termo de empréstimo do acervo do jornal de sua propriedade, o “Gazeta de Uberaba”, para que a Superintendência de Arquivo Público possa digitalizá-lo.
Arnaldo Rosa Prata é neto de um dos antigos proprietários do jornal, o Cel. Tobias Antônio Rosa. O “Gazeta de Uberaba” circulou de 1879 a 1915 e foi o primeiro jornal no município veiculado diariamente.
A digitalização deste acervo será mais uma realização do projeto “Hemeroteca Digital”, uma parceria da Superintendência de Arquivo Público, de Uberaba – SAP com o Arquivo Público Mineiro – APM e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG.
 O projeto tem por finalidade disponibilizar para consulta pública os principais acervos jornalísticos da região do Triângulo Mineiro. Para isso, está sendo desenvolvido um site na internet pela Codiub, empresa que administra os recursos de tecnologia da informação do município e a Superintendência de Arquivo Público. Em breve todos terão acesso a esse riquíssimo universo de informações de nossa história!
Fonte: Arquivo Público de Uberaba