Mostrando postagens com marcador Paulo Nogueira. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Paulo Nogueira. Mostrar todas as postagens

sábado, 22 de fevereiro de 2020

UMA LEMBRANÇA DOS MEUS 50 ANOS NO JORNALISMO

Paulo Nogueira

No espaço me concedido pela direção do JU todas as semanas, hoje vou narrar um fato de repercussão nacional e até internacional que cobrimos durante meses, que estará no meu livro sobre meus 50 anos no jornalismo no Rádio, TV, Jornal e Assessoria de Comunicação. No início de minha carreira no jornalismo, foi a façanha do Ramiro Matilde Siqueira, que até então era um homem comum da pacata cidade de Jaboticatubas, em Minas Gerais, até se tornar uma fera pelos seus crimes cometidos na década de 70, foram mais de 35 vítimas. As armas utilizadas eram sempre espingardas cartucheiras usadas para roubar dinheiro e armas que encontrava, assim como, na execução cruel de suas vítimas, em sua maioria, fazendeiros desprotegidos. Em razão disso, ganhou a alcunha de “O Bandido da Cartucheira”. Foram vários os latrocínios praticados por este indivíduo, causando verdadeira histeria e paranóia no meio rural, pelo temor dos moradores de se tornarem a próxima vítima. Mesmo na capital, algumas mortes foram atribuídas a ele. Depois de várias mortes em Minas Gerais, começaram a surgir novas vítimas em Goiânia com as mesmas características do “Bandido da Cartucheira”, famílias inteiras eram chacinadas. Pelo menos duas equipes de policiais civis de Belo Horizonte participaram da caçada ao perigoso assassino, como também as policias civil e militar de Uberaba, quando de sua passagem pela região. Ele esteve na região próximo a Sacramento, e eu estava cobrindo tudo, dirigia o carro de reportagem, fazia as fotos e os textos.

QUASE FUI MORTO

Numa sexta feira por volta de 5 horas da manhã, eu dormia dentro do carro embaixo de uma árvore próximo ao acostamento da estrada que liga a BR- 262, a cidade de Sacramento.Estava um pouco frio, e já havia percorrido muitos quilômetros durante a noite e madrugada, juntamente com os policiais á caça do bandido. Acordei com uma pessoa batendo com um pedaço de madeira no vidro do carro. De imediato abri o vidro, era o Ramiro, com uma espingarda na mão e outras duas nas costas e com a roupa muita suja. Muito assustado, perguntei o que queria, ele disse, “ preciso sair daqui, estou quase cercado e preciso ganhar tempo”, e neste momento passava um caminhão na estrada, e fazia muito barulho, aproveitando, dei partida no carro e sai em velocidade, e pelo retrovisor vi que o bandido se embrenhava no mato novamente. Foi um alívio. escapei por pouco de morrer.

MORREU NA DELEGACIA

Depois de muitas investigações e diligências em cidades visitadas pelo criminoso pela região e no estado de Goiás, conseguiram sua prisão. Ramiro foi preso em Corumbaíba, em Goiás, e transferido para a carceragem a Delegacia de Vigilância Geral, em Goiânia, onde em 1981 apareceu morto na cela, ao que tudo indica, por ataque cardíaco.

Jornalista- Membro da Associação Brasileira de Jornalismo Científico

Artigo publicado na edição do jornal de Uberaba – 21/02/2020


Cidade de Uberaba


segunda-feira, 1 de julho de 2019

OS 25 ANOS DO PLANO REAL

1º de julho de 1994, houve a culminância do programa de estabilização, com o lançamento da nova moeda, o real (R$), implantada pelo então Presidente Itamar Franco.Toda a base monetária brasileira foi trocada de acordo com a paridade legalmente estabelecida: CR$ 2.750,00 para cada R$ 1,00. A inflação acumulada até julho foi de 815,60%, e a primeira inflação registrada sob efeito da nova moeda foi de 6,08%, mínima recorde em muitos anos. O Plano Real foi um programa definitivo de combate à hiperinflação implantado em três etapas: Período de equilíbrio das contas públicas, com redução de despesas e aumento de receitas, e isto teria ocorrido nos anos de 1993 e 1994;Criação da URV para preservar o poder de compra da massa salarial, evitando medidas de choque como confisco de poupança e quebra de contratos; Lançamento do padrão monetário de nome real, utilizado até os dias atuais. (Jornalista Paulo Nogueira)


Jornalista uberabense Paulo Nogueira, conversando como jornalista com o então Presidente da República Itamar Franco, exatamente sobre o lançamento do plano real. (Foto acervo pessoal de Paulo Nogueira)



Fanpage: https://www.facebook.com/UberabaemFotos/

Instagram: instagram.com/uberaba_em_fotos



Cidade de Uberaba


domingo, 30 de junho de 2019

17 ANOS SEM CHICO XAVIER



!7 anos sem Chico Xavier. Foto: Paulo Nogueira

A morte do médium Chico Xavier completa 17 anos hoje, 30/06/2019. O Brasil inteiro experimentou uma mistura de sentimentos no dia 30 de junho de 2002. Pela manhã, alegria e comemoração pela conquista do penta pela Seleção Brasileira na Copa do Mundo. No começo da noite, tristeza e emoção, morria o médium em Uberaba. (Jornalista Paulo Nogueira)



Fanpage: https://www.facebook.com/UberabaemFotos/

Instagram:  instagram.com/uberaba_em_fotos


Cidade de Uberaba


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Uirapuru Iate Clube Uberaba,

Uirapuru Iate Clube Uberaba

Uma das primeiras fotos aéreas clicada pelo fotografo Paulo Nogueira, no início dos anos 60, mostrando a então UNIUBE, do lado direito, e do lado esquerdo no alto da foto também, o lago do Uirapurú e o Aeroporto, com sua pista ainda de terra  
                                                                                           
(Foto do acervo pessoal do jornalista Paulo Nogueira)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

NOSSO QUERIDO CHICO XAVIER - UBERABA

CHICO XAVIER FALA DE SEUS BENS MATERIAIS
                     

Década:1980



 Fotógrafo:Paulo Nogueira                                                                                                                         
                                                                                                                           

CHICO XAVIER FALA DE SEUS BENS MATERIAIS

“Partirei desta vida sem um níquel sequer... Tudo o que veio a mim, em matéria de dinheiro, simplesmente, passou por minhas mãos. Graças a Deus, a minha aposentadoria dá para os meus remédios... Roupas?! Os amigos, quando acham que eu estou mau vestido, me doam... Sapatos, eu custo a gastar um par... Em casa, a nossa comida é simples... Não tenho conta bancária, talão de cheques, nenhuma propriedade em meu nome, a não ser esta casa que eu já passei em cartório para outros, tenho apenas o usufruto... Nunca tive carros, nem mesmo uma carroça... De modo que, neste sentido, nada vai me pesar na consciência. Fiz o que pude pelos meus familiares, se não fiz mais, é porque mais eu não podia fazer... Nunca contei o dinheiro que trazia no bolso, mesmo aquele que alguns amigos generosos colocavam no meu paletó...”.

(Chico Xavier)



PALÁCIO EPISCOPAL - UBERABA

Palácio Episcopal



Palácio Episcopal, era residência oficial dos bispos de Uberaba. Rua: São Sebastião Década: 1980 Fotógrafo: Paulo Nogueira

FOTO AÉREA DE UBERABA

FOTO AÉREA DE UBERABA








Vista aérea da cidade de Uberaba- MG, ano de 1978 - (Foto aérea do Jornalista Paulo Nogueira - Arquivo)







DESFILE DE 7 DE SETEMBRO


UBERABA 194 ANOS




Década: 1980



Avenida Dr. Fidélis Reis



UBERABA 194 ANOS: Desfile de 7 de setembro, defronte aos Correios e Telégrafos, em imagem aérea.



Fotógrafo: Paulo Nogueira

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

CANALIZAÇÃO DA AVENIDA SANTOS DUMONT

Final da canalização da Avenida Santos Dumont


                                    Final da canalização da Avenida Santos Dumont – Trecho entre a Rua São Sebastião e a Rua Coronel Manoel Borges, final dos anos 70, em imagem aérea.


Foto do acervo pessoal do jornalista Paulo Nogueira


domingo, 15 de janeiro de 2017

CANALIZAÇÃO DA AVENIDA LEOPOLDINO DE OLIVEIRA

Final da canalização da Avenida Leopoldino de Oliveira



Ano: 1979



Fotógrafo: Paulo Nogueira

CHICO XAVIER, ENTRAVA EM UM TÁXI, NA PRAÇA RUI BARBOSA

CHICO XAVIER, ENTRAVA EM UM TÁXI, NA PRAÇA RUI BARBOSA




Década de 1970

Está é uma das primeiras imagens feita por mim, no início de minha carreira de jornalista. O momento exato em que o nosso saudoso e querido médium Chico Xavier, entrava em um táxi, na praça Rui Barbosa,em  Uberaba no final da década de 70. Ele me agradeceu na oportunidade dizendo “eu não mereço ser fotografado, sou uma pessoa comum, obrigado “. Lembro como se fosse hoje..

(Paulo Nogueira)

NOSSO SAUDOSO CHICO XAVIER EM SUA MESA DE TRABALHOS MEDIÚNICOS

Nosso saudoso Chico Xavier em sua mesa de trabalhos mediúnicos.



Década de 1980

Foto: Paulo Nogueira

sábado, 14 de janeiro de 2017

PRAÇA DOUTOR JORGE FRANGE

Praça Doutor Jorge Frange – Década 1960



Praça Doutor Jorge Frange (Bairro São Benedito – Década de 1960). Em destaque, o antigo Terminal Rodoviário de Uberaba que funcionou nesta praça até o ano de 1972.

Até o final da década de 30, o local entre as ruas Veríssimo, Conceição das Alagoas e São Benedito era um imenso descampado.

Na década de 1940, foi transformado em praça e, conforme o Decreto nº 354, de 23/11/1940, seu primeiro nome foi Praça da Bandeira, uma homenagem do então prefeito municipal. Dr. Whady José Nassif, ao Pavilhão Nacional.

Apesar da conotação cívica da homenagem, não há relatod de manifestação patriótica no local.

Em 1943, no governo municipal do Dr. Carlos Martins Prates, a Praça da Bandeira passou a sediar a nova Estação Rodoviária, inaugurada em 1945.

Em 1957, por meio do Decreto nº 607, no governo municipal de Arthur de Mello Teixeira, a praça passou a ser denominada Praça Jorge Frange.

Em 1972, a Rodoviária foi transferida para a Praça Dr. Carlos Terra. O prédio que ela ocupava na praça Dr. Jorge Frange foi desativado e demolido, entre 1977 e 1+982.

Em 1983, no governo de Silvério Cartafina, o espaço foi reformado e reinaugurado.

Tempos depois, a Praça Jorge Frange passou a contar com um marco maçônico, um minipalco, banheiros para atender a Feirarte, o Clube de Damas de Uberaba e a estátua do andarilho São Bento.


Foto: Paulo Nogueira


Arquivo Público de Uberaba


BRASIL X CHILE 1989

BRASIL X CHILE 1989




Numa volta ao tempo, podemos recapitular uma das maiores farsas do futebol mundial, que teve como palco o Maracanã, em 3 de setembro de 1989. Neste dia, o então goleiro Rojas, da seleção chilena, conseguiu dividir opiniões quando simulou ter sido atingido por um sinalizador marítimo. A imprensa chilena denunciou os brasileiros de mafiosos e assassinos. O jornal “Fortim”, por exemplo, destacou em manchete de capa, no dia posterior ao jogo, o seguinte: “Herido el condor”. Houve um jornal que optou pelo título de capa em uma palavra: “Mafiosos” (numa referência aos brasileiros).O Chile precisava ganhar a partida para ter chances de classificação ao Mundial da Itália, de 1990, e o Brasil também necessitava vencer pelas Eliminatórias Sul-Americanas. O jogo estava difícil para o time chileno e a torcida brasileira levou para o Estádio Maracanã o clima de guerra. Disso se aproveitou Rojas, que esperou o exato momento em que uma torcedora atirou fogos atrás de sua meta, para simular um ferimento na testa. Acreditem: o catimbeiro Rojas se cortou propositalmente, e seu rosto logo se banhou de sangue, provocando a interrupção da partida em que o Brasil vencia por 1 a 0.No tumulto, na arquibancada, a torcedora Rosemary – que não tinha hábitos de freqüentar campos de futebol – foi denunciada por atirar o tal simulador marítimo. E por mais que tentasse argumentar que o goleiro não havia sido atingido pelos fogos, não conseguia. Foi crucificada.A verdade dos fatos só foi restabelecida três meses depois, quando a Comissão Jurídica e Médica do Chile divulgou relatório de 74 páginas, em que acusava o goleiro de ter provocado em si mesmo o corte na testa, com o objetivo de interromper aquela partida. Rojas foi suspenso por 18 meses do futebol chileno, enquanto a Fifa pretendia bani-lo. O goleiro ainda tentava confundir a cabeça das pessoas, alegando inocência, justificando que teria sido injustiçado. Mas prevaleceu a punição. Posteriormente, o São Bento, de Sorocaba (SP), numa jogada de marketing intermediada por uma fábrica de artifício da cidade, tentou contratá-lo, porém não deu certo. Assim, o bom goleiro chileno acabou no Morumbi, no time do São Paulo. Sem a mesma motivação para continuar jogando, Rojas encurtou a carreira de atleta, mas foi aproveitado no próprio São Paulo, na preparação de goleiros de todas as categorias. O trabalho competente de Rojas para ensinar segredos aos goleiros ainda é reconhecido, mas aquele episódio de setembro de 1989 sempre será lembrado. Eu consegui fotografar exatamente o momento em que o goleiro Rojas cortava a testa. A foto foi solicitada á direção do Jornal de Uberaba na época e foi anexada ao processo da CBF contra o goleiro.

 Jornalista – Paulo Nogueira

COPA DO MUNDO FIFA 1982

 Copa do Mundo FIFA de 1982


    A Copa do Mundo FIFA de 1982 foi a 12ª edição das copas do mundo FIFA. Foi a primeira a contar com 24 seleções, entre elas várias estreantes. No total, 105 países participaram das eliminatórias. O campeonato ocorreu na Espanha.A seleção brasileira, comandada por Telê Santana, foi um dos destaques da copa, com jogadores como Leandro, Júnior, Toninho Cerezo, Paulo Roberto Falcão, Zico, Sócrates e Éder e com um futebol ofensivo e vistoso. Esta foi a foto oficial da seleção, e junto estava o então presidente do país, João Batista Figueiredo. Esta foto tive a honra de fotografá-la para a CBF, para o Jornal da Manhã e o jornal O Estado de São Paulo. 

Jornalista Paulo nogueira

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

General Ernesto Geisel no aeroporto Mário de Almeida Franco

General Ernesto Geisel no aeroporto  Mário de Almeida Franco


Década: 1970

Foto: Autoria desconhecida

(Acervo  pessoal  de Paulo Nogueira)

General Ernesto Geisel e o jornalista Paulo Nogueira

General Ernesto Geisel e o jornalista Paulo Nogueira


Década: 1970

Gen. Ernesto Geisel e o jornalista Paulo Nogueira – Cobertura presidencial – Jornal da Manhã

Foto: Autoria desconhecida

(Acervo de pessoal de Paulo Nogueira)

sábado, 7 de janeiro de 2017

MERCADO MUNICIPAL CLICADA DA TORRE DA IGREJA DE SANTA RITA


Igreja de Santa Rita

Parabéns a nossa Uberaba, pelos seus 195 anos. Tenho muito orgulho de ter nascido nesta terra abençoada. Meu abraço a todos os Uberabenses, que como nós, lutam por uma cidade sempre melhor. Através desta imagem clicada por mim, nossa homenagem !!!
(Paulo Nogueira)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

ESTÁDIO MUNICIPAL ENGENHEIRO JOÃO GUIDO (ESTÁDIO UBERABÃO)

Estádio Municipal Engenheiro João Guido


TÚNEL DO TEMPO: Única vez que o Estádio Uberabão lotou de verdade, jogo USC X Cruzeiro, pelo campeonato mineiro, no final de década de 1970. (Foto área clicada por Paulo Nogueira)

CAMPEONATO MUNDIAL DE HANDEBOL – UBERABA – MINAS GERAIS.

Campeonato mundial de Handebol

Pelo campeonato mundial de Handebol, que teve início hoje em Uberaba, Brasil 31 X Japão 30.
Domingo, 19 de julho de 2015.
Foto: Paulo Nogueira