Mostrando postagens com marcador Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Saúde Pública - Os Cientistas – Dr. Edison Reis Lopes

Não temos pretensão de analisar aspectos científicos de Saúde Pública até porque isto é de competência de especialistas. Ateremos tão somente ao processo evolutivo, a ampliação de conceito, sua posição na Política Social e os reflexos socioeconômicos.

Nosso reconhecimento especial deve ser de início, para os pesquisadores, heróis anônimos. Em nosso país, a exemplo do que sucede no exterior, todos os ramos da saúde têm produzido grandes pesquisadores. Epidemiologistas, sanitaristas, parasitologistas, imunologistas, biólogos, geneticistas, bioquímicos, patologistas, clínicos, dentistas, enfermeiros e profissionais de outras especialidades dignificam a pesquisa biológica.

 Dr. Edison Reis Lopes. Foto: Acervo da família.

Uberaba, centro médico reconhecido como de alto nível, tem hoje renome nacional e internacional no campo das Doenças Tropicais. Neste campo, nossa cidade, tanto no passado como no presente, tem do que se orgulhar,

Em todo o mundo científico, quem não conheceu o nome de Aluízio Prata. Professor na Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro da disciplina de Doenças Tropicais e Infecciosas? E, no setor de Medicina Tropical, principalmente em relação à Doença de Chagas, Malária e Esquistossomose., seu trabalho é uma das referências primeiras em todo o país.

Suas centenas de trabalhos sobre profilaxia, clínica e tratamento da Malária, Doença de Chagas, Esquistossomose Mansoni, Leishmanioses e outras endemias constituem referências básicas para todos que se preocupam com estes temas.

Sempre manteve amplo intercâmbio com pesquisadores internacionais na experimentação de vacinas. Trouxe para Uberaba o XXVII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, o qual teve repercussão internacional.

O reconhecimento de seu valor é atestado pelos cargos que ocupou nos organismos como Organização Mundial de Saúde e Organização Panamericana de Saúde.

Outro ramo em que nossa cidade se destaca é no da Patologia Tropical. A fundação da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro em 1954 propiciou a vinda para Uberaba de Edmundo Chapadeiro, então professor da Universidade Federal de Minas Gerais, onde havia sido discípulo de um dos maiores patologistas que nosso país teve, Luigi Bogliolo, renomado pesquisador italiano, que se radicara em Belo Horizonte na década de 40.

Chapadeiro formou em Uberaba excelente centro de patologia, formando uma grande escola cuja linha de pesquisa fundamental é na Doença de Chagas. Seu trabalho foi tão proveitoso que o único centro de Pós-graduação "senso stricto", que até o ano de 1991 havia no interior de Minas Gerais, era o Curso de Pós-graduação em Patologia Humana da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, hoje classificado no MEC como classe A.

Chapadeiro e seus discípulos Edison Reis Lopes, Fausto Pereira, Hipólito Almeida, Sheila Adad, Sebastião Tostes Jr, Vicente de Paula Antunes, Ademir Rocha, e outros, produziram especialmente no campo da morte súbita e da forma indeterminada da doença de Chagas, trabalhos fundamentais e básicos para o melhor conhecimento da enfermidade.

No setor hematológico, Hélio Moraes de Souza e sua equipe, também realizam pesquisas básicas em relação a transfusões de sangue e doença de Chagas. Desnecessário frisar o pioneirismo e a importância dos estudos de Humberto de Oliveira Ferreira no conhecimento da fase aguda da tripanossomíase cruzi e na terapêutica da endemia e Ruben Jacomo nos aspectos laboratoriais da doença.

Vários nomes ainda devem ser lembrados por suas contribuições na pesquisa das Doenças Tropicais, especialmente na Doença de Chagas: Fausto da Cunha Oliveira, Adib Jatene, Valdemar Hial, Luiz Ramirez, Eliane Lages Silva, Virmondes Rodrigues Jr, Jaime Olavo Marques, Maria Aparecida Enes Barros, Lineu Miziara, Sylvio Pontes Prata, Antônio Carlos Meneses e outros mais.

Graças a estes pesquisadores, muitos deles hoje apenas saudades, a FMTM pode se projetar como centro de pesquisa nacional e internacional.


Gilberto de Andrade Rezende – Membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, ex-Presidente da ACIU e do CIGRA e ex-diretor do Grupo TRIFLORA.


FONTE DE PESQUISAS: Dr. Edison Reis Lopes. a) - Revista Goiana de Medicina - Artigo Doença de Chagas rio Triângulo Mineiro.


Fanpage: https://www.facebook.com/UberabaemFotos/

Instagram: instagram.com/uberaba_em_fotos

Cidade de Uberaba

sábado, 21 de outubro de 2017

Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro

Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro

Ano: 1971

Foto: Autoria desconhecida

Anteriormente denominada Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro (FMTM) fundada em 1953, deu origem à Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) no ano de 2005. Desde então, a universidade vem criando novos cursos e hoje conta com mais de vinte cursos, se destacando nas áreas da Saúde e Engenharias. A UFTM também possui uma biblioteca, além de um Complexo Hospitalar.


(Foto do acervo da Universidade Federal do Triangulo Mineiro – UFMT)

domingo, 15 de janeiro de 2017

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MEDICINA DO TRIÂNGULO MINEIRO

Faculdade de Medicina de Uberaba


Década de 1950

Foto: Autoria desconhecida

O prédio que hoje abriga a UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro), foi construído no começo do século XX e serviu inicialmente para abrigar a Penitenciária de Uberaba. Sua planta foi assinada pelo arquiteto Luigi Dorça.
No ano de 1954, passou a ser ocupada pela Faculdade de Medicina de Uberaba. A federalização da Faculdade ocorreu no dia 18 de outubro de 1960, pela Lei n.º 9856, assinada pelo Presidente da República, Juscelino Kubitschek, acompanhado do Deputado Federal, Mário de Assunção Palmério.
Em 2005, o complexo educacional, conhecido como FMTM (Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro), ampliou-se, transformando-se, na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

 Arquivo Público de Uberaba