Mostrando postagens com marcador Mercado Municipal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mercado Municipal. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

NOSSOS MONUMENTOS

Oi, turma !
( É triste escapar do espeto e ter que cair n brasa...)


Um bom pedaço da nossa paisagem urbana, passa despercebida pela população. Lá estão instalados os nossos principais monumentos históricos e arquitetônicos. Não são vistos e nem observados como deveria ser. A Igreja de São Domingos; às suas costas, o Mercado municipal, a Faculdade Federal de Medicina, Colégio Nossa Senhora das Dores e Igreja Santa Rita. Esses monumentos retratam a imponência histórica de Uberaba. É de chamar a curiosidade popular, estando na praça Manoel Terra, observar essas antigas construções.

Respeitosamente aos padres dominicanos, comerciantes do mercadão, ex-“cadeião” da terrinha, a garra das irmãs dominicanas, mas, a igrejinha de Santa Rita, é o símbolo maior da sacra terrinha, cartão postal da quase bicentenária cidade . O visitante que aqui aporta, alegra-se em apreciar, visitar e fotografar a igrejinha que abençoa Uberaba. Turistar na terrinha e não ver o nosso mais antigo patrimônio arquitetônico e histórico, não é recomendação que se faça.

Gabriel Toti, um dos historiadores verdadeiros e autênticos da vida de todos os tempos de Uberaba, ignorado por jovens e ignorantes ditos “ historiadores modernos”, conta, com real propriedade, que a “Santa Rita”, foi construída em 1854, por Cândido Justiniano de Lira, ex- agente dos Correios e funcionário da Câmara municipal. Alcóolatra inveterado, estava prestes a ser abandonado pela família, por não largar o maléfico vicio.

Para não ser abandonado por esposa e filhos, “Candinho”, na presença deles, jurou que a partir daquele momento, iria “largar” a bebida. A mulher passou a curtir pimenta nos garrafões de pinga. Em pouco tempo, desconfiou e depois comprovou; os garrafões estavam sempre vazios... Passou a olhar a conduta do marido até que um dia, flagrou- o com a “ boca na botija”...

Corado de vergonha, renovou o juramento. Iria construir uma capelinha em honra de Santa Rita dos Impossíveis. Deixou a bebida e cumpriu a promessa, erguendo às suas expensas, o templo. Em 1875, o comerciante Manoel Joaquim de Vasconcelos , casado há anos, tinha loucura por um filho. Fez voto que se fosse pai, iria ampliar e consertar a capela. Major Quincota” como era conhecido, cumpriu o prometido. Seu filho nasceu em 1877..

No século passado, a Igreja de Santa Rita, foi incorporada ao Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Ao correr dos anos, sempre com verba federal, a “Santa Rita”, é remodelada para alegria de todos nós uberabenses. Amanhã, eu volto. Abraços do “Marquez do Cassú”.


quarta-feira, 25 de setembro de 2019

"Rua do Comércio e a Igreja que sumiu"

Por volta de 1895, o fotógrafo José Severino Soares registrou a antiga Rua do Comércio de Uberaba (atual Rua Artur Machado) em uma série de fotos adjacentes tiradas do alto do morro onde hoje está a Praça Santa Terezinha. Essas fotos, um tanto degradadas pelo tempo, estão hoje sob guarda do Arquivo Público Mineiro.

      Essa montagem panorâmica foi feita pela composição de quatro dessas imagens originais, 
restauradas digitalmente para melhorar a visualização. 

No primeiro plano aparece o fundo do vale do "córrego da Estação"(hoje canalizado sob a Avenida Fidélis Reis) para o qual davam os fundos dos terrenos das casas da Rua do Comércio...

No lado esquerdo da foto, destaca-se a antiga Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, situada então ao pé da ladeira onde hoje existe a Av. Presidente Vargas. Inaugurada em 1841, essa igreja foi sendo abandonada nas primeiras década do século XX e acabou demolida em 1924.

Coloquei alguns detalhes das fotos nos comentários.


No canto direito da foto panorâmica, avista-se ao fundo o primeiro prédio do Colégio Nossa Senhora das Dores, das irmãs Dominicanas – na época recém inaugurado.

Ainda não haviam sido erguidos o prédio da Penitenciária (posteriormente Faculdade de Medicina) e nem o atual Mercado Municipal.

Detalhe da atual Rua Lauro Borges. 

O casarão bem no centro da foto, na subida da ladeira, com os telhadinhos para fora é, provavelmente, onde funcionava nessa época o Mercado da cidade. Foi demolido no início do século XX para a construção do prédio antigo do Fórum. A Igreja de São Domingos, no alto da rua, ainda não havia sido construída.

 Detalhe da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, "Igreja dos Pretos", construída pelos escravos a partir de meados da década de 1830 e demolida em 1924.

(André Borges Lopes)



====================





Cidade de Uberaba



terça-feira, 11 de junho de 2019

Vista aérea do Mercado Municipal de Uberaba

    Vista de Uberaba de 1950. Observa-se em 1º plano o Mercado Municipal (A) e a Cadeia Pública (B). Em 2º plano tem-se a torre da Igreja Nossa Senhora das Dores (C) com o edifício da Santa Casa de Misericórdia (D) ao fundo.

Fonte: Acervo do Arquivo Público de Uberaba.

Editor da foto: Marcellino Guimarães.



Instagram: instagram.com/uberaba_em_fotos

Fanpage: https://www.facebook.com/UberabaemFotos/



Cidade de Uberaba