Mostrando postagens com marcador Valdemar Vieira. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Valdemar Vieira. Mostrar todas as postagens

sábado, 25 de julho de 2020

ABANDONO

Noite dessas resolvi dar um “rolê” pelo centro da cidade. Queria lembrar a minha Uberaba dos anos 60; rua Artur Machado, avenida Leopoldino, os bares e restaurantes que freqüentava com os amigos, muitos deles, hoje, já no plano espiritual, ao lado direito do Criador. Queria sentir um pouco de saudade, reminiscências dos longos “bate papos”, as casas comerciais, ver de novo, a vitrine iluminada de “A Noiva”, do Primo Ribeiro, o “vai e vem” chamado “footing” das lindas moças de sorriso aberto, cabelos esvoaçantes, subindo e virando para o Metrópole, os moços na beirada da calçada, dirigindo-lhes frenéticos e saudáveis elogios... a pequena parada no bilhar “Atlântico”, do Valdemar Vieira, subir as escadarias da Associação Esportiva e Cultural; descer e saborear o cheiroso cafezinho do “Café Uberaba”, fazer a “ rodinha” no “Ramon Rodrigues, ” e gozar da alegre companhia do Renatinho Frateschi, “barman” por excelência.

Pensei:-“ Viro a esquina, cumprimento o Toninho e o Ernani Camanho, no “Guarani” e faço uma pequena parada no “Buraco da Onça”, encontro o Perigoso, o Netinho e o Zito Sabino , “encho o saco” do Romeu e dou um “cascudinho” no “Cebolinha”. Dou uma olhada no “Galo de Ouro”, sempre cheio, cumprimento os garçons, Jesuino, Zezinho e Cacildo, dou um “alô” para o Alaor Carlos, cinqüenta anos, gerenciando as firmas do Hugo Rodrigues da Cunha (Cinema, restaurante e hotel). Sigo em frente, abraço o “Quinzinho, do Tip-Top”, bebo a “Antártica” que o Drumond sabe que eu gosto, sento com o Ramon Rodrigues, que me espera já com a “Caracu” pela metade...No Metrópole, acaba e filme e o comentário é a beleza da Gina Lollobrigida...

Meu Deus ! vocês já foram no“calçadão” e Leopoldino, depois das oito da noite ?Que decepção! A Artur Machado ,outrora fulgurante,fervilhante e iluminada, gente prá lá e prá cá, bares abertos, ficou apenas nos meus pensamentos. O “calçadão” ,à noite, é de dar medo!

Um convite a depressão .Fiquei desesperado!... Parecia um lugar de fantasmas! Nenhuma “viv’alma” nem pra cumprimentar O lixo amontoado no inicio do “calçadão”, a iluminação parecia “tomate seco”. A solidão fez morada no trecho. Assustado, vejo tudo fechado ! De repente, passa um carro na avenida. Freia rápido, um grande “quebra molas”, liga a avenida a Artur Machado. Ninguém por perto. O “pisca-pisca” do farol, me alerta. Vem chegando um ônibus. É o tal de BRT. No meio da avenida, uma ”cerca de fazenda”, divide aquele trecho...

Não tem “Marabá”,”Guarani”,Buraco da Onça”, “Galo de Ouro”,”Tip-Top”, “Metrópole”, “A Noiva”,Bilhar Atlântico”...nada ! O córrego sumiu, o balaustre acabou, o “footing’, já era... Em seu lugar, um “monstrengo” tubular, escuro, sem ninguém dentro. Estação BRT, me contaram. Passos largos e apressados, cheguei na praça dos Correios. Era um “miolo” de cidade assustada, prédios pichados , alguns poucos coitados, “noiados”, me pedem uns trocados . De táxi, um único estacionado na praça, me leva prá casa. Sem querer, enxuguei as lágrimas que corriam no meu rosto. Decepção ? Mais que isso. Fui no centro da cidade, que tanto amo e que não era mais a minha Uberaba, meu amor... (Luiz Gonzaga de Oliveira)

=====================

Fanpage: https://www.facebook.com/UberabaemFotos/

Instagram: instagram.com/uberaba_em_fotos

Cidade de Uberaba

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Escola Técnica de Comércio José Bonifácio

“A Escola Técnica de Comércio José Bonifácio (Rua Coronel Manoel Borges) foi fundada em 2 de fevereiro de 1924, pelo Professores Valdemar Vieira, José Macciotti e Enoque de Morais e Castro. Em janeiro de 1928, retiraram-se da sociedade os Professores Valdemar Vieira e Enoque de Morais e Castro, passando a Escola a ser dirigida, a partir de março de 1928, pelos Professores José Macciotti e Amadeu Pascoalini, na qualidade, respectivamente, de diretor-técnico e diretor-secretário [...].

 Escola Técnica de Comércio José Bonifácio

Em dezembro de 1927 a Escola diplomou a sua primeira turma de guarda-livros.

Até junho de 1931, a Escola funcionou como sucursal do Instituto Comercial do Rio de Janeiro, da Capital Federal. Nesse período, manteve o Curso Geral de Guarda-Livros, em 3 anos, na forma do regímen estabelecido pelo Decreto Nº 17.329, de 26 de maio de 1926. Em 1931, em virtude do decreto Nº 20.158, de 30-6-1931, passou a funcionar sob o regímen de inspeção federal. Começou, então, a manter os cursos Propedêutico e de Guarda-Livros. Em 1933, instalou o Curso de Perito-Contador, instituído pelo mencionado Decreto Nº 20.158, de 1931.
Em 1943, em virtude do disposto do Decreto-Lei Nº 6.141, de 28-12-1943, foi considerada Escola ‘reconhecida pelo Governo Federal’, e, em obediência à nova lei Orgânica do Ensino Comercial, aprovada pelo citado decreto-lei, instalou o Curso Comercial Básico e o Curso Técnico de Contabilidade, os quais começaram a funcionar em 1944, com as adaptações exigidas pela mencionada lei.” (MENDONÇA, 1974

Foto: Autoria desconhecida

Acervo Público de Uberaba


Cidade de Uberaba