Mostrando postagens com marcador Marques do Cassu. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Marques do Cassu. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 15 de junho de 2021

Calou-se o marquês do Cassu

QUE TRISTE TARDE

 Tomei conhecimento de sua partida meu amigo irmão.

A nossa cidade que vc tanto amou perde hoje o seu defensor.

Quis o cruel destino (maktub) que fosse vc acometido desse mau terrível junto com Marilia, a filha que sempre esteve ao seu lado.

Walter Bruce da Fonseca e Luiz Gonzaga de Oliveira.
 (Foto do acervo pessoal de Walter B.da Fonseca)

Internados os dois ela foi embora antes para enfeitar a sua chegada, ornamentando com abraços enternecidos o seu novo lar.

Felizmente quis a sorte benfazeja que ela foi sem você saber para a surpresa de abraça-lo na chegada.

Você foi a voz de Uberaba com seus arroubos de amor e a sua lembrança viva em seus escritos, onde se lia como se fosse ao vivo e a cores, personagens que por essas ruas perambulavam, hoje e antigamente, ressuscitados por sua memoria prodigiosa.

Lembro-me do seu inicio na antiga igrejinha de São Benedito no serviço de alto falantes na praça da velha rodoviária.

Era você e o Vicente Paula oliveira (o maior declamador de Catulo da Paixão Cearense) sendo que o Vicente já se foi de há muito e estará também presente na sua chegada.

As quermesses com seus correios elegantes faziam a alegria de nosso povo.

Lembro-me de quando você leu o correio elegante de um poeta desconhecido que respondendo a uma gentil e linda senhorita lascou: “eu quisera ser uma lagrima para em seus olhos nascer, por sua face correr, e em sua boca morrer”.

Você falou que o poeta casou e não mais fez versos!

Dai você foi galgando os degraus da trajetória iluminada que o traria ate hoje, passando por radio, televisão e jornais. 

Quando quiseram por motivos outros, mudar a data de nascimento de sua terra amada o mundo veio abaixo.

Veio á tona uma sua faceta por nós desconhecida, de um denodado e valente defensor do berço.

 O brilhante lutador fez de sua pena espada, e partiu para o confronto.

Essa peleja açodada pela peça teatral de Luigi Pirandello ”ASSIM E SE LHE PARECE” iria chegar a lugar nenhum, mas ficou no limbo para ser interpretada de acordo com a ideologia ou conveniência de cada um.

Você Gonzaga foi um grande amigo e ser amigo é muito difícil, e a gente quando encontra um, tem que dar valor, e quando estamos juntos jamais dar motivos para sair da roda e ir embora e você se foi.

Mas esse adeus provocado por essa maldita síndrome não irá impedir um reencontro no andar de cima.

 A nossa cumplicidade em somar tristezas e dividir alegrias com o nosso Botafogo expulsava os resquícios de quaisquer malsinados pensamentos de que um dia haveria essa dolorosa despedida

A dor do amigo que perde um companheiro não é pouca.

 As tardes no Filó para espancar a solidão e nunca acreditar que um dia haveria essa triste separação.

Disse-lhe eu uma vez que os personagens da terra que não eram ficção, e sim protagonistas viventes como Dora Doida, Maria Boneca, Maria Carrapata, Coronel Delcides e Alicate que se dizia filho de Heleno de Freitas do nosso Botafogo, que poderiam ser figuras de um romance regional que nos levaria a viver de novo emoções passadas e a vc a gloria nacional na literatura, já que aqui vc e exponencial.

Você lutou para vencer a Covid, mas vencido fez uma cidade inteira chorar, e foi sem se despedir, mas deixou pra todos: o testemunho de seu grande amor por UBERABA!

A Vânia com certeza devia  sentir-se enciumada por tanto amor a nossa Uberaba, mas ela tinha o coração nas alturas e jamais deixaria de incentivar tão extremada paixão pela nossa terra.

Terra que hoje se sentirá agradecida por servir de agasalho pro seu corpo frio.

O seu corpo Gonzaga hoje volta ao ventre amado, feliz pelo fruto tão produtivo em versos e prosas que você nos legou.

Nosso rincão amado jamais será o mesmo sem a presença pujante de sua pena-espada valente a nos defender.

 Somos todos órfãos de sua presença física, mas temos a certeza inexorável de que você onde estiver com a força da experiência de vida que teve jamais nos esquecera na morte.

Siga com Deus nobre MARQUE DO CASSU!

* Walter Bruce da Fonseca, 14/06/2021